Av. Sen. Vergueiro, 4229, SBC, SP  11 4368-7844 contato@enildepsicologa.com.br Deixe brilhar a Luz que há em você!

Alimentos e Saúde Emocional

“Cada uma das substâncias da dieta de um homem age sobre seu corpo mudando-o de alguma forma, e toda a sua vida depende dessas mudanças, esteja ele saudável, doente ou convalescendo.”    (Hipócrates)

Os alimentos que comemos podem afetar nosso estado emocional de várias maneiras. Sabemos, ao menos inconscientemente, por nossas observações como a fome deixa as pessoas de mau humor, ou como elas usam os alimentos para melhorar o astral. As imagens populares de “alimentos que confortam” não são fantasias: as conexões entre humor e alimentos são cada vez mais defendidas pela pesquisa, sugerindo que muitos escolhem inconscientemente determinados alimentos por seu efeito no humor e nas emoções. Sabe-se que a serotonina, por exemplo, é uma substância química do cérebro associada às sensações de tranqüilidade e segurança. O que leva a supor que pessoas que se queixam de depressão provavelmente tenham baixos níveis de serotonina.    

   Um  importante estudo realizado pelo professor Philip Cowen, do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Oxford, na Inglaterra, revelou a importância do aminoácido triptofano – encontrado em peixes, peru, frango, queijo fresco, feijão, abacate, banana e germe de trigo – na formação da serotonina. Uma dieta deficiente em triptofano é um dos fatores que podem causar depressão.

   Muitos dos sintomas como irritabilidade, mau humor, insônia, impaciência podem serem aliviados se você ingerir grandes quantidades de vitaminas B1, B2, B3, B6, ferro, niacina, vitamina C, ácido fólico, Omega 3, magnésio, ácidos anacárdicos e zinco.

-Complexo de vitaminas B – os principais nutrientes que participam da produção de energia do organismo também ajudam a criar a sensação de paz e satisfação. A vitamina B6 é necessária na fabricação de serotonina, a partir do triptofano, enquanto a B3 é útil na prevenção dos sintomas de depressão. Boas fontes destas vitaminas são os grãos integrais, peru, frango, fígado, linguado, vegetais verdes folhosos( um bom exemplo são: brócolis, couve, espinafre,etc.)como também o repolho, batata, abacate, soja, damasco, uva passa e nozes.

-Ácidos Omega 3 – encontrados em abundância nos peixes oleosos, como bacalhau, salmão, arenque e sardinha, os ácidos Omega 3 são especialmente eficazes para decodificar a mensagem da serotonina. Soja, óleo de canola, azeite extra virgem,  nozes e sementes de abóbora também são alimentos ricos em Omega 3.

-Carência de zinco – baixos níveis deste mineral estão associados à depressão. Bons fornecedores de zinco são: ostra, marisco, camarão, endívia, ervilha-chata, algas, trigo integral, centeio, arroz integral, aspargo, cogumelo, peru, frango, alho, batata, gema de ovo e cenoura.

-Ácidos anacárdicos – substâncias químicas ligadas a antidepressivos, estão presentes na manga, caju e pistache.

   Uma boa dieta para saúde e bem-estar geral, deve incluir muitas frutas e vegetais, grãos e proteínas.Um grão que vem ganhando espaço ultimamente é a quinoa, além de ser fonte de carboidratos de baixo índice glicêmico, vitaminas, minerais e gordura saudável, contém todos os aminoácidos essenciais que nosso corpo não fabrica e que são precursores de várias proteínas.Como também, é uma boa fonte de triptofano, aminoácido ligado a produção de serotonina. Por isso, é provável que o seu consumo regular possa ajudar a reduzir a fadiga e a depressão.

   Assim como existem coisas que ajudam na sua dieta para depressão, também existem aqueles que atrapalham e devem ser eliminadas, é o caso do álcool e da cafeína.O álcool

é como um calmante e pode piorar seu humor, e a cafeína pode estimular demais o sistema. Exercícios são também uma boa idéia para saúde emocional.